09 março, 2015

Conto Brincando de Seduzir: Capitulo 1 - ACHADOS DE UMA LIVRARIA

As livrarias são lugares mágicos onde se encontram tesouros e passaportes que te transportam para lugares extraordinários e te fazem viver outras vidas. Em uma tarde comum fui a uma livraria garimpar esses novos tesouros e procurar um livro que a muito desejava, acabei encontrando junto algo inusitado, mas tão bom quanto. Foi a primeira vez que vi a bela criatura que encontraria hoje.
           Eu não falei dela ainda, não é? Isso é importante. Ela é o tipo de pessoa que provavelmente eu mais adoro no mundo: do tipo que chega como quem não quer nada e como num passe de mágica, já está tão entrelaçada na sua vida que você fica triste se ela não te liga no fim do dia. Some isso ao fato dela ser morena. Sim, eu tenho uma queda violenta por morenas. Não branquelas com cabelos pretos. Falo daquelas que tem o pecado na cor da pele. As negras, mulatas, seja lá qual o nome que você quer dar. Para mim elas são a perfeição. Ponto final. Ela é baixinha.
Sabe por que os homens preferem as baixinhas? Para se sentirem seus guardiões. Salvaguardar suas protegidas envoltas de seus braços, no melhor estilo “Venha comigo, se quiser viver” ou algo assim. Coloque uma voz de doce, um corpo na medida certa para alguém que não ultrapassa 1,60 de altura e voilá. Essa é a versão resumida da mulher que eu iria encontrar hoje. Detalhe importante: ela adora ler e escrever. Mas não ler e escrever como todo mundo é acostumado a fazer na escola. Ela sonha em ser escritora um dia. Eu sonho ser escritor um dia. Coincidência, não?
                    Faltando uma hora para o combinado, a sensação era de que meu coração iria explodir, afetando todo o resto do meu sistema, inclusive minha mente. Há... minha mente. Ok, posso estar exagerando um pouco, mas o desejo tomava conta de mim. Eu queria aquela mulher nos meus braços agora e com ela aprontar as maiores loucuras que não cabem na imaginação.
           Ai você me pergunta: como ela fez para você se sentir assim?
           Ai eu respondo: não sei, só sei que foi assim.
           Certas coisas que acontecem em nossa vida não são para serem explicadas e sim vividas. E era isso que eu faria aquele dia. Viver o momento e da forma mais prazerosa possível.
           Não falei como eu a conheci não é? Isso também é importante. E pode revelar um pouco mais sobre essa história.


Foi em uma livraria, eu estava procurando um novo livro para ler, o primeiro de uma serie muito bem recomendada,mas não muito conhecida. Avistei na estante um único exemplar e me apressei para pegá-lo quando nossos dedos se encontraram no caminho e eu senti como se uma corrente elétrica atravessasse todo o meu corpo. Ao me recuperar do choque me deparei com um par de olhos castanhos escuros intensos e um lindo sorriso de lábios. Aquilo com certeza era apenas uma amostra de tudo que ainda estava por vir.
- Ah!... Desculpa! Eu só queria pegar aquele livro. - Ela disse
- Parece que queremos fazer a mesma aquisição. - Eu sorri e lhe entreguei o livro- Pode ficar com este.
- Não sei se seria justo. - Ela disse me devolvendo. - Acho que você chegou primeiro e este livro está esgotado em todas as lojas... É o ultimo.
- Então vamos ter que dividir! - Sugeri
- Dividir? Como assim? - Sorriu com uma incredulidade duvidosa
- Nós compramos e depois que você terminar de ler me empresta. O que acha?
- Não sei… - Respondeu lentamente como que considerando a proposta de um desconhecido.
- Eu sou o Vitor - Apressei para me apresentar antes que ela dissesse não
- Késia .
- Então Késia, acho que essa é uma boa solução para o nosso pequeno problema.

4 comentários:

  1. A leitura amplia os horizontes!!!!! beijos

    ResponderExcluir
  2. Nossa que conto lindo ^^
    Primeira vez aqui no blog.. Gostei muito
    http://imperfeicaoliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Bárbara.
      Obrigada!
      Apareça mais vezes.

      Excluir

Compartilhe comigo a sua opinião

Desenvolvido por Igor Thiago | imagem do livro O inferno de Gabriel | Não copie, seja criativo!