23 julho, 2014

Especial BDSM: Relatos de uma Submissa

   Essa semana postei uma entrevista que fiz com o dominador Vulpes, acredito que para se ter uma compreensão melhor de qualquer situação essencial ver os dois lados, por isso hoje vou mostrar a vocês trechos do relato da submissa Petit sobre a primeira sessão deles.



                                                                 Foto: Google Imagens


1º Relato público de petit lapin_Dominus Vulpes

Olá para todos que se interessam pela evolução de nossa história dentro do mundo BDSM, tentarei relatar um pouquinho para vocês sobre o envolvimento do meu Senhor e eu.

Há 2 anos começamos um namoro baunilha e uma química muito forte logo se apoderou de nossos corpos. Nossa vida sexual sempre teve novidades e rotina não entra em nosso vocabulário. Risadas, aí, ui, uhhhh, pára, está doendo, continua...rs, éramos um casal baunilha apimentadíssimos! Sem saber é claro.
Há menos de um mês praticamente fui iniciada no BDSM, mas o que era isso? Não conhecia e nem sabia que essa pratica existia no mundo de alguém, quando meu Dono falou sobre isso pela primeira vez tínhamos pouco mais de um ano de namoro, confesso que li, não achei muita graça e continuei vivendo nossa tão maravilhosa vida sexual, fazer amor com Ele era mágico! Chegando perto do 2º ano de namoro meu Dono voltou a tocar no assunto, dessa vez dei mais atenção e começamos a ler muito sobre o assunto, pouco tempo depois Ele queria testar, claro que me permitiria, mas confesso que tive medo.
Chegou então o grande dia - 10/08/2013, meu primeiro dia de férias, queria viver todas as emoções do meu tão esperado descanso. Meu Dono foi me buscar no trabalho e fomos nos divertir na casa de uns amigos, dançar! No caminho de volta para casa, fomos ao Motel que sempre gostamos de frequentar, estava ansiosa pra saber na prática o que era o BDSM e pronta para falar que não gostei, que voltaríamos para nossas antigas brincadeiras baunilhinhas.
Já na primeira sessão experimentei sensações diversas, ao chegar no quarto seguimos nossas atividades normais até que teve um momento que meu namorado até então baunilha parou e falou assim: “já que vamos brincar, preciso te ensinar umas coisas, a partir de agora não sou mais o seu namorado e sim o seu Senhor! Você vai me obedecer e fazer o que eu quiser. Existe uma safeword e você poderá usa-la quando quiser, se não gostar paramos na mesma hora. Tudo que quiser fazer terá que pedir minha liberação, até mesmo para gozar terá que me pedir e seu eu não permitir você não gozará”.
Depois disso deu as costas e foi buscar uns brinquedos. A Safe me deu uma segurança muito grande, estava com ela na ponta da língua e não hesitaria em usá-la. Mesmo sendo nossa primeira vez, pois nos iniciamos juntos (o que pra mim tem um grande significado), Ele já me vendou, colocou algemas em mim, e me amarrou, não poderia me mexer, estava ao seu dispor. Fiquei na posição de spanking, aliás, depois de me imobilizar foi a primeira palavra que meu Senhor falou, Ele disse assim: “você quer aprender BDSM? Então, vamos começar pelo spanking! Sua mão desceu em meu bumbum de uma vez só, em nossa vida baunilha apimentada já tinha levado uns tapinhas, então gostei do que senti, outros tapas e depois cinto até meu Dono achar que estava bom.
Pregadores foram colocamos em meu corpo em diferentes pontos, ceras de vela tocaram minha pele e então Ele me possuiu, depois de tudo isso.
Gostei e não gostei, tenho claustrofobia e fiquei louca de agonia quando minha visão e movimentos foram retirados, mas senti cada sensação que o meu Senhor queria eu sentisse. Não sou masoquista, a dor que o meu Senhor provoca em mim é para o meu prazer e no momento da sessão, apanhar por apanhar pra mim não tem graça.
Depois disso só evoluímos. Testamos muitas coisas, fire play, algumas picadinhas de agulha, spanking com outros itens como sandália e colher de pau. Compramos muitas coisas para irmos testando, e por falar nisso, testaremos quase tudo, pois estamos nos permitindo juntos.
Hoje Ele é o meu Senhor, Senhor de minha submissão, toda ela pertence a Ele, meu Mestre, que me ensina e me guia e o meu Dono, que brinca com o seu brinquedinho e o faz sentir sensações inesquecíveis. Tenho 3 em um e tenho certeza que descobrirei outros títulos que o meu Senhor se mostrará.
[...]
Para comemorar nosso 2º ano de namoro, fomos para um lugar que para nós é muito especial e tem um grande significado, Pirenópolis. Junto com a ideia, partiu de ambos a vontade de viver durante toda a viagem uma relação D/s por todo o final de semana.
Meu Dono cuida de mim, através do meu merecimento se lembrou em levar coisas que gosto de comer, isso mostra que estou indo bem e mereço o seu carinho e atenção.
[...]
Já passamos por várias sessões em tão pouco tempo e apesar de ser iniciante sinto que meu Senhor já fez tanto por mim, aprendo fácil e me surpreendi o quão rápido superei alguns temores os quais meu Dono me submeteu. Ele me faz quebrar paradigmas, evoluir em minhas emoções, ter orgulho do meu corpo, evoluir em meus pensamentos, meu Dono me ensina, me guia e cuida de mim.
Meu corpo o deseja, grita por Ele, pegamos fogo quando estamos entre 4 paredes e vivendo o BDSM. Desafio da viagem: não fazer barulho, pois os quartos do hotel eram muito próximos. É impressionante como meu Dono sempre descobre algo que me enlouquece! Seu tom de voz muda, sua face se altera e sua mão se torna muito mais forte do que já é. Pegada!
Foi um final de semana incrível, brincamos de muitas coisas, coisas que não fizemos antes, coisas que eu nem sabia que gostava, coisas que meu Dono me ajuda a descobrir, Ele me guia por caminhos lindos e estamos nos descobrindo de uma forma maravilhosa!
[...] A mão do meu Senhor tem a medida certa para mim, nunca usamos a safeword e me orgulho em falar isso, pois ele conhece cada milímetro do meu corpo e eu sei como agradá-lo, nos completamos, minha submissão só serve para Ele e sua Dominação só caí sobre mim. Ele me domina mesmo de longe, as tarefas que Ele me passa, os relatos que faço, nossas conversas ao telefone, pessoal e virtualmente, tem a dominação dos meus desejos e anseios.
Sou petit lapin, pertenço a Dominus Vulpes, Ele me deu o meu nome, me guia por caminhos que jamais imaginei nem em meus sonhos mais picantes com Ele, nos desejamos mais a cada sessão, somos um casal do BDSM que quer testar, testar, testar, testar...Quero o que o meu Senhor quer, estou pronta para seguir nessa viagem, pois confio em meu Senhor, Dono, Mestre, namorado, noivo...

petit lapin_Dominus Vulpes
23/09/2013


Gente, não sei vocês mas eu consegui sentir a intensidade do relacionamento deles nas palavras da Petit. Achei lindo. E vocês? Gostaram? Alguma dúvida? Deixem nos comentários!

Bjin






2 comentários:

  1. Parabens ao casal. Vivi essa aventura por um delicioso tempo, pena que não exista Dons com compromisso no mundo BDSM. Uns aparecem e te iludem de tal forma e na realidade fazem do BDSM um verdadeiro puteiro e da submissa um nada! O Dominador só existe por que a submissa o aceita. Falta compromisso e responsabilidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá boa tarde! Me chamo João e tive uma experiência sado BDSM 1 vez onde eu me identifiquei muito, fui senhor e com um click a imaginação, tesão, sensualidade e dor tomaram conta da cena ela a submissa adorou.
      Mas eu não gostei tanto ela era casada!
      Se houver uma solteira que queira um senhor estou disponível quero uma escrava para a vida toda.
      Amarrar, chicotear, cera de vela, agulhas...

      Excluir

Compartilhe comigo a sua opinião

Desenvolvido por Igor Thiago | imagem do livro O inferno de Gabriel | Não copie, seja criativo!